Carregando...
App Unimed Campinas

App Unimed Campinas Unimed

Baixar
VOLTAR

O que é bom para enxaqueca? Saiba como tratar o mal-estar

O que é bom para enxaqueca? Saiba como tratar o mal-estar

Se você já se perguntou o que é bom para enxaqueca, é porque provavelmente tem lidado mais do que gostaria com ela. Esse problema atinge cerca de 140 milhões de pessoas só no nosso país, segundo a Sociedade Brasileira de Cefaleia.

O pior é que, quando essa incômoda e recorrente dor de cabeça aparece, além de causar um desconforto físico, ela bagunça completamente a sua rotina, deixando você menos sociável e com zero produtividade, não é mesmo?

Listamos informações importantes neste post, para sanar as suas dúvidas sobre o que é a enxaqueca, por que ela aparece e como tratá-la. Continue lendo e saiba mais sobre o assunto!

O que é enxaqueca? 

De maneira simplificada, a enxaqueca nada mais é do que uma dor de cabeça. Contudo, ela tem algumas características bem marcantes, como o fato de ser sentida em só um lado da face (o direito ou o esquerdo). Além disso, ela é facilmente descrita como uma dor que lateja continuamente.

Quem passa por um episódio de enxaqueca costuma ter outros sintomas ativos. A pessoa pode apresentar uma hipersensibilidade sensorial, por exemplo, o que torna odores, ruídos e até mesmo a claridade desconfortáveis e irritantes enquanto durar o episódio de enxaqueca.

Vale mencionar que, em casos mais severos de enxaqueca, o indivíduo pode ter enjoos, pontos esbranquiçados na visão, desorientação e dificuldade para se comunicar.

Qual é a diferença entre enxaqueca e dor de cabeça?

"Se enxaqueca também é dor de cabeça, então, o que diferencia uma e outra?", você deve estar se questionando. A dor de cabeça é uma cefaleia pontual e de curta duração, que ocorre por fatores orgânicos e, acima de tudo, ambientais. Todos estamos sujeitos a tê-la em algum momento da vida.

A enxaqueca, por outro lado, é uma cefaleia de origem neurológica, recorrente na rotina da pessoa. Justamente por ser um quadro repetitivo e que traz outros sintomas em conjunto, ela se torna, por si só, um problema crônico de saúde — por isso, demanda cuidados, tratamento personalizado e acompanhamento médico.

Quais são as principais causas da enxaqueca? 

A enxaqueca não tem uma causa única, como acontece, por exemplo, com uma doença causada por um vírus ou uma bactéria. Entende-se, atualmente, que ela pode ser desencadeada por distúrbios neuronais e predisposição genética, como destacado em estudo publicado na Revista Portuguesa de Clínica Geral.

Além disso, múltiplos fatores ambientais estão envolvidos, de forma isolada ou combinada, no aparecimento da enxaqueca — como estresse e ansiedade, Síndrome de Burnout, alimentação pobre em nutrientes, períodos longos sem beber água e se alimentar, sedentarismo, tempo diário de sono insuficiente etc.

O que é bom para enxaqueca?

Como ela afeta diretamente o seu bem-estar físico e mental, o que é bom para enxaqueca é tomar algumas ações que vão lhe ajudar a descansar e a evitar situações ou ambientes incômodos, que podem agravar o nível das dores. Por exemplo:

        evite dar continuidade às tarefas domésticas ou atividades do trabalho que exijam esforço físico ou uso da cognição (lógica, raciocínio, memória etc.) — em especial, se envolvem ficar de frente a telas de computador, celular e tablet;

        deite-se para repousar em um lugar confortável, sem barulhos externos, com clima arejado e pouca luz — isto é, um cômodo com o mínimo de elementos que ativem ou piorem a hipersensibilidade sensorial comum durante a enxaqueca;

        invista em uma massagem no couro cabeludo, na nuca e na testa, pois isso contribui para relaxar a musculatura da região e aliviar tensões que possam agravar as dores;

        faça uma compressa de água fria na área da testa, já que a baixa temperatura reduz a dilatação dos vasos e, com isso, o excesso de irrigação sanguínea na cabeça justamente durante a enxaqueca;

        pratique a meditação, concentrando-se no momento presente e bloqueando pensamentos intrusivos sobre o futuro ou situações que você não controla.

Por que mapear os sintomas e as ações que levam à dor?

O motivo é bem simples: você vai observar a recorrência dessas dores ao longo do mês, as características delas, a intensidade com que surgem, a duração média que têm e se elas ocorrem na sequência de algum acontecimento da sua vida.

Inclusive, uma boa ideia é montar um diário com as anotações sobre todos esse pontos. Nele, você também pode escrever sobre outros aspectos que podem ter relação direta ou indireta com as dores, como alimentação, ambiente em que você esteve, atividades que realizou, contexto em que elas surgiram etc.

Isso tudo é muito importante para traçar um padrão que aponte possíveis causas e lhe ajude a distinguir se o que você tem é uma dor de cabeça comum ou uma enxaqueca.

Para completar, ao procurar ajuda médica, esse mapeamento vai ser de grande serventia para o profissional durante a consulta, pois ele terá um aprofundamento maior no seu estilo de vida e no possível histórico de desenvolvimento dessa doença.

Quando procurar um médico?

Quando as dores de cabeça se tornam recorrentes e com as características que citamos, é o momento de ter um acompanhamento médico de um neurologista para saber o que é bom para enxaqueca.

A Neurologia é a especialidade da medicina que avalia, identifica e trata enfermidades, desordens e acidentes relacionados ao funcionamento do nosso sistema nervoso central. No atendimento, o profissional fará o diagnóstico correto do seu caso não só a partir do seu relato, mas de acordo com exames que ele pode solicitar para descartar outros problemas orgânicos.

Depois de confirmar que se trata de uma enxaqueca, o médico vai lhe receitar os remédios que mais atendem às suas necessidades. Isso é fundamental é para evitar um comportamento de automedicação que pode trazer riscos à sua saúde.

Além disso, o profissional vai lhe orientar com precisão sobre quais mudanças adotar na rotina quanto à alimentação, à prática de exercícios físicos, à rotina de sono etc.

Essas medidas ajudam a reduzir os gatilhos que levam ao aparecimento da enxaqueca, assim como os fatores que aumentam a frequência e a intensidade dela. Como resultado, isso permite que você tenha um estilo de vida mais saudável e funcional.

Entendeu o que é bom para enxaqueca, quais causas estão envolvidas no aparecimento desse problema e as diferenças entre ela e a dor de cabeça comum? Então, siga as nossas sugestões para aliviar o desconforto causado pela enxaqueca e, acima de tudo, busque a ajuda de um médico neurologista, se for preciso.

Assim, você tem como tratar a enxaqueca de maneira segura e global, evitando que ela gere prejuízos de longo prazo, combinado?

Curtiu o nosso artigo? Assine nossa newsletter para ficar por dentro de outros conteúdos que explicam diferentes questões relacionadas à saúde!

Planos Rede

O que você procura?